I Sultopias – Seminário de utopias em ação no Sul

I Sultopias – Seminário de utopias em ação no Sul

O I Sultopias – Seminário de utopias em ação no Sul foi realizado em 18 e 19 de outubro de 2018, na Universidade Federal de Santa Catarina, no âmbito da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. A iniciativa foi do Laboratório da Utopia, projeto do Laboratório de Sociologia do Trabalho (Lastro), Centro de Filosofia e Ciências Humanas. As conferências, mesas de debate e intervenções artísticas do evento exploraram as conexões entre utopia e pensamento, ação política, produção e distribuição da riqueza, arte e subjetividade. Complementarmente, realizou-se a segunda edição do evento Floripa, Cidade Utópica, no dia 20 de outubro, reunindo mais de 40 coletivos e movimentos sociais de Florianópolis que se dedicam à construção de uma cidade/mundo melhor. Em conjunto, os eventos contaram com aproximadamente 500 participantes, entre estudantes e professores/as de todos os níveis de ensino, ativistas sociais e militantes políticos, pesquisadores/as, artistas, comunicadores/as e outros/as interessados/as. O seminário envolveu discussões relativas à transformação dos padrões de produção, circulação e consumo que caracterizam o capitalismo contemporâneo. Diante da iminência da catástrofe ambiental e humana por conta do aquecimento global, o uso de recursos naturais para a produção e o destino dos dejetos do processo produtivo (incluindo as próprias mercadorias) estão no centro da reflexão dos grupos sociais interessados em impedir o colapso. Esses problemas se somam às desigualdades estruturais que caracterizam a sociedade brasileiras, como a concentração de renda e as disparidades derivadas de preconceito de raça e gênero. O papel dos indivíduos e dos grupos sociais em cada experiência foi o objeto central de discussão, embora o Estado e as políticas públicas não tenham sido esquecidos: contudo, o Estado é sobretudo apontado, por ativistas e especialistas, como um agente de reprodução das desigualdades, mais do que como um agente de transformação. Entre mudar o Estado para que ele possa redefinir suas políticas públicas ou agir diretamente no sentido da mudança, intelectuais e militantes priorizam a segunda opção. Em termos metodológicos, os eventos experimentaram variadas formas de ensino-aprendizagem. No Sultopias, combinaram-se mesas de debate a performances artísticas e rodas de conversa. Intelectuais acadêmicos/as contribuíram com o aporte de perspectivas contemporâneas sobre o conceito de utopia e de linhas teóricas pertinentes à formulação de uma epistemologia utópica (envolvendo, em particular, correntes pós-modernas e pós-coloniais do pensamento). Ativistas e artistas complementaram o debate com perspectivas desde suas áreas de atuação. Assim, o evento contribuiu tanto para dar visibilidade aos estudos sobre utopia no Brasil, desenvolvidos em vários programas de pós-graduação de modo não-articulado, quanto para estimular as vivências coletivas de caráter utópico. Destacou-se o estabelecimento de uma inter-relação entre conhecimento acadêmico, conhecimento prático e experimentação, sob mútua influência; e a consolidação de meios de transformação direta da realidade social. O seminário foi inovador por cotejar abordagens teórico-conceituais e experiências empíricas: pôs lado a lado, desafiando hierarquias epistemológicas, diferentes tipos de saberes – religiosos, filosóficos, científicos, empíricos, abstratos. Tal contraposição favoreceu não apenas a aprendizagem da numerosa audiência, mas desafiou os/as conferencistas, convidando-os/as a se deslocarem de seus lugares de fala usuais. Em termos propriamente acadêmicos, dez dos conferencistas eram provenientes de universidades brasileiras e apresentaram contribuições originais ao debate, das quais pretendemos divulgar um conjunto selecionado e integrado no dossiê Sultopias na Revista Mediações. A temática vem sendo explorada pelo Laboratório da Utopia (Luta/UFSC) desde 2015, pela sistematização de práticas utópicas de Florianópolis aliada à pesquisa teórica em pesquisas de mestrado e doutorado e em curso de extensão. Tem-se em vista o conceito de utopia em seus elementos propriamente sociais, bem como em seus efeitos epistemológicos (a invenção e descoberta de novas formas de saber, em experimentação constante).
  • Date:
    10/18/2018
  • Categories:
    Ações
  • Local
    Universidade Federal de Santa Catarina

<strong>Share</strong> the Work